Avaliações de clientes

50 PRINCIPAIS AVALIADORES
Avaliado no Brasil em 30 de março de 2020
Este livro é algo único na literatura mundial, contudo, nem todos estão preparados para discorrer neste tipo de leitura uma vez que há muitas pessoas com crenças desde o título até diversas passagens da “entrevista” com o Diabo (o cara lá de baixo, satã, como você queira denominar).

Saiba que este “mal” está dentro de todos nós!

É como aquela história de que nossa mente é uma constante luta entre 2 lobos - um é mau (raiva, mentira, inveja, ganância, medo, arrogância, desespero, autopiedade, mentira, sentimento de inferioridade, culpa, orgulho e ego) enquanto o outro é bom (alegria, coragem, paz, autodeterminação, serenidade, humildade, bondade, empatia, verdade, compaixão e fé). Qual dos dois vence? Aquele que você alimenta.

Com certeza muitos que estão lendo esse review já tiveram contato com essa história, ela é inclusive citada no epílogo ao final do livro.

Independente da religião, culto ou filosofia que possamos fazer parte, o “Diabo” mexe com a nossa imaginação e nos faz parar e refletir sobre a sua real natureza. Será que não somos nós mesmos que o criamos diariamente…alimentando o negativo…

Qual a maioria armadilha que o mesmo pode criar p[ara o ser humano? Plantar na nossa mente a incerteza de sua existência. Logo, cuidado com o que deseja e alimenta diariamente em sua mente…

Esta obra trata basicamente da LEI DO RITMO HIPNÓTICO (ou lei da inércia da vida) em que basicamente os nossos pensamentos dominantes acabam por se tornarem equivalentes físicos no nosso dia-a-dia. Portanto, pelo exposto dá para perceber que resultados positivos só advêm de pensamentos equivalentes.

O medo é uma ferramenta do Diabo idealizada, portanto, pelo homem. A fé inabalável é a arma que o derrota e que constrói uma vida de sucesso. Para isso, acreditar que FRACASSOS e DERROTAS são EXPERIÊNCIAS meramente TEMPORÁRIAS é muito importante! A maior parte dos fracassos reais se deve a limitações que as pessoas impõem a si mesmas em suas próprias mentes.

Além disso, o fracasso pode ser encarado como uma benção disfarçada! Há uma solução para para cada problema não importa o quão difícil pareça ser. Logo, para cada derrota temporária e para cada fracasso e cada forma de adversidade existe a semente de um benefício equivalente - mesmo que seja difícil de encontrá-la (enxerga-la), mas é o caminho pra evolução.

Após cerca de 50 folhas (48) é que efetivamente começa a entrevista com o Diabo. Descreverei a seguir os principais tópicos que são justificados pelo autor como o que torna a humanidade limitada e o que fazer para livrar-se disso, pois durante esta parte são descritas as características negativas que levam aos fracassos e outros problemas e a forma de lidar para não cair nas “armadilhas do Diabo”.

Os seis MEDO efetivos que norteiam o controle negativo da mente humana são:
1. Pobreza
2. Crítica
3. Perda da saúde
4. Perda do amor
5. Velhice
6. Morte

Os mais efetivos para controlar uma pessoa são pobreza e morte. Isso lembra muito o período atual do planeta, em especial do Brasil, escrevo na semana em que estamos de quarentena e há divisão de opiniões advindas dos nossos governantes e das instancias superiores da saúde no país e mundo. De um lado o medo de sair da quarentena e ter a morte pelo coronavírus e do outro a pobreza se ficarmos sem trabalhar por uma quarentena estendida. Isto está claramente descrito no texto em que essa é uma forma de manipular as pessoas, deixando-as numa encruzilhada e ocupando fortemente suas mentes não deixando espaço para pensar criticamente e tornando-as alienadas.

Este é um dos propósitos do Diabo: alienar pessoas. Indivíduos que pensam por si próprios nunca se alienam. Os alienados são aqueles que se deixam influenciar e serem controlados por circunstâncias externas a sua mente. É aquela pessoa que emite várias opinões que não são suas e que são preguiçosas para utilizarem seus cérebros para não aceitar qualquer coisa.

Boa parte do livro é descrito no sentido de como pessoas se alienam e destroem suas vidas e como os opostos conseguem ter sucesso através de tomada de atitudes positivas.

A descrição detalhada do que é um ALIENADO por Napoleon Hill (Diabo falando):
- falta de autoconfiança;
- nunca conquistará nada através do pensamento e esforço;
- gasta tudo que ganha e gasta mais se ainda consegue crédito;
- quando ficar doente clamará aos céus ao sentir a menor dor física;
- tem pouca ou nenhuma imaginação;
- não tem entusiasmo nem iniciativa para começar qualquer coisa por conta própria
- temperamento explosivo;
- falta de controle emocional;
- personalidade sem magnetismo, logo sem atrair pessoas em sua volta;
- opiniões sobre muitas coisas, mas sem conhecimento sobre nada;
- normalmente diz que sabe tudo, mas não é bom em nada;
- se negará a cooperar com aqueles que estão em sua volta;
- cometerá os mesmos erros várias vezes sem tirar proveito do fracasso para aprender;
- mente limitada e intolerante;
- aceita a pobreza como uma circunstância inevitável;
- acreditem que são predestinadas ao sucesso ou ao fracasso (este último em geral);
- espera tudo dos outros sem dar nada em troca (via de mão única ou relação do ganha-perde);
- começa várias coisas mas sem acabar (não finaliza nada);
- condena qualquer governo sem citar como melhorar;
- não toma decisões sobre nada e evita ao máximo decidir algo;
- come muito e exercita pouco;
- bebe álcool em demasia [especialmente se alguém pagar pra ele(a)];
- aposta muito;
- critica os outros que são bem-sucedidos;
- são vítimas fáceis da influência da bajulação.

Você pode até não concordar com uma ou outra informação anteriormente descrita, porém, na maioria é aplicável a uma personalidade fraca de uma pessoa alienada. São pessoas que optam por mentir antes de admitir ignorância em um assunto e que podem trabalhar duro para outros e criticará estas pessoas pelas costas e elogiará pela frente. Em suma, pessoas falsas e sem caráter positivo.

Expressar opinões que não foram solicitadas pode fazer com que você compartilhe demais e seja prejudicado ao ter sua ideia executada antes de você mesmo conseguir pôr em prática. Quem tem o hábito de expressão quando não solicitado, em geral é egocêntrico e vaidoso, querendo a atenção das pessoas para impressioná-las.

Por outro lado, o não alienado tem um objetivo maior na vida e outros objetivos menores, sabendo exatamente o que quer e é determinado para conseguir não importando o tempo que possa levar ou o preço que tenha que pagar. A pessoa não alienada reconhece que seu cérebro é quem pode ser sintonizado para receber informações e convertê-las em ações que possam ajudá-la a transformar seus desejos em equivalentes físicos. Sabem ainda reconhecer que o TEMPO é um grande ativo e que se organizado, possibilita a produção dos desejos. São indivíduos que reconhecem que a vida é um mestre que ou você controla ou, do contrário, a vida te controla. Não devemos aceitar da vida aquilo que não queremos, por isso os pensamentos dominantes atraem através da lei definitiva da natureza! O autor ressalta que o tempo é inimigo da imortalidade e da injustiça, sendo amigo da justiça e da moralidade.

Com a definição de um propósito, pessoas que não se alienam e fazem oração, tem fé inabalável para alcançar seus objetivos. Pessoas desse tipo não aceitam predestinação e acreditam que o ser humano tem uma ampla gama de escolhas.

Hábitos que levam ao Sucesso
Para não ser aliado e tomar conta da própria vida, Napoleon Hill ensina 7 princípios:
1. Tenha um Propósito Claro: Defina sua missão de vida. Tenha um motivo maior para te fazer pular da cama cedo todos os dias;
2. Domine sobre si: Tenha disciplina, controle seus instintos e impulsos. Planeje sua vida. Não seja levado;
3. Aprender com dificuldades: Falhar é uma grande oportunidade de aprender, não deixe que os pequenos fracassos te façam desistir;
4. Controle sob influência do ambiente: Escolha bem com quem andas. Você é a média das pessoas com quem mais convive;
5. Tempo: Desenvolva hábitos, tenha consistência em suas ações, mantenha o ritmo, persista;
6. Harmonia: Busque o Equilibrio entre Físico, Mental e Espiritual;
7. Precaução. Pense antes de agir.

Algo interessante sobre matrimônio e relações é que quando os dois cérebros estão combinados através do hábito de “Mastermind”, o poder de ambos fica ampliado.

Para alcançarmos um propósito definido é preciso ter AUTODISCIPLINA, a pessoa que não domina a si mesma não é líder de ninguém. O que dificulta seu controle são 3 desejos: por comida, expressão e por sexo. São naturais, mas também são perigosos sem um controle devido. Interessante que ele deixa claro o que já li em outros locais: todos grandes líderes são altamente sexuados, mas eles conseguem controlar seus desejos por sexo, transformando em uma força propulsora que motiva suas ocupações.

E o tal do RITMO HIPNÓTICO que é bastante citado no livro, portanto, não tem nenhuma ligação à religião. Neste livro, Hill fala sobre o diabo na forma do mal uso da nossa mente, tanto para coisas negativas, mas principalmente sobre o não aproveitamento de todo o nosso potencial. O livro mostra uma pessoa alienada, que vive nesse ritmo hipnótico da vida, sem assumir o comando da sua mente e mostra como isso acontece com a maioria das pessoas.

Mas então, como sair desse ritmo hipnótico? Como se livrar dessa cadeia de pensamentos ruins?

A maior força de qualquer ser humano, segundo o autor, é a própria pessoa! E conforme citei nesta revisão, são várias as características do alienado e não alienado. Procurando não ser alienado, com certeza conseguimos estar no comando de nossas vidas, mesmo que todos tenhamos dias ruins e bons, a disciplina e hábito nos ajuda na conquista de nossos desejos/objetivos/metas!

E como enfrentar as ADVERSIDADES?

As adversidades livram as pessoas da vaidade e do egocentrismo, desencorajando o egoísmo, provando que ninguém é bem-sucedido sem a cooperação de outros. A adversidade força a pessoa a testas a sua forca mental, física e espiritual; portanto, faz com que o indivíduo enfrente face a face suas fraquezas e dá a ele a oportunidade de transpô-las. As adversidades quebram velhos hábitos de pensamento e dão a oportunidade de formatar novos hábitos.

Logo, as adversidades podem QUEBRAR o ritmo hipnótico e mudar seu funcionamento de negativo para positivo.

Portanto, FRACASSOS são BENÇÃOS quando permite que a gente dependa menos de nossas forcas materiais e dependamos mais das espirituais, evoluindo a nossa mente.

A perda de coisas materiais inclusive pode ensinar muitas lições necessárias (vide que pessoas de sucesso sempre relatam em suas biografias que quebraram uma ou mais vezes) e a maior de todas ela é: NÃO POSSUÍMOS CONTROLE SOBRE NADA E NÃO TENHO CERTEZA DO USO PERMANENTE DE QUALQUER COISA, EXCETO O PODER DE MEU PENSAMENTO.

Desse modo, todos podemos ter um novo começo livre do ritmo hipnótico.

POR OUTRO LADO, pessoas ALIENADAS, indivíduos com força de vontade FRACA terão o efeito oposto das ADVERSIDADES: serão mais enfraquecidos porque não sabem usar as derrotas como combustível de aprendizado para continuar a jornada rumo à vitória de suas metas. Tudo isso porque suas mentes não tem pensamentos positivos e só olham o lado ruim de tudo.

E por fim, não devemos esquecer o que os mais velhos nos ensinavam desde pequenos: cuidado com as amizades. Em outras palavras, CUIDADO COM O AMBIENTE ao seu redor! O contato constante com uma pessoa cujos hábitos de pensamento são negativos influencia a pessoa a formar também pensamentos ruins. Em ordem de poder de influência ocorre: parceiro(a) de casamento, colegas de trabalho, amigos íntimos e conhecidos.

Ainda vale frisar que ganância, inveja, avareza, ciúme e rancor são sentimentos negativos expressados por FRUSTRAÇÕES de desejos positivos. Logo, são inspirados por alguma forma de derrota, fracasso ou negligência por parte de pessoas que tentaram se adaptar positivamente às leis da natureza que descrevemos até aqui.

Ao final do livro, o autor relata que líderes de negócios bem-sucedidos escolhe bem seus pares/associados excluindo pessoas sem uma definição de propósito e tem bastante cautela na hora de escolher as pessoas de seu convívio. Por isso que escutamos e lemos por aí: somos o resultado da média das 5 pessoas com quem mais convivemos. Acrescento que com o mundo digital, podemos acompanhar pessoas através de suas redes e podemos excluir pessoas que nos prejudicam no dia-a-dia dentro da possibilidade (se for um familiar na mesma casa é preciso aprender a conversar para não deixar que crie situação de um ambiente desfavorável para você…).

Finalizo recomendado a obra, ela é prolixa em alguns momentos, repetindo conceitos, mas não chega a destruir a mensagem que é passada. Porém, é uma leitura que cansa em certos momentos. Logo, não recomendo ser daqueles livros que a gente lê por horas sem parar. Pausas são recomendadas nesta obra (até para assimilar os conceitos que não são algo de outro mundo, mas na forma de pergunta e respostas, torna distinta a apresentação).
510 pessoas acharam isso útil
Informar abuso Link permanente