Avaliações de clientes

Avaliado no Brasil em 29 de novembro de 2021
Afrodescendente, pobre e alcoólatra, Lima Barreto é considerado o porta-voz dos excluídos, o retratista dos subúrbios e um crítico feroz da Velha República, inclusive, chama atenção a oralidade de sua escrita, que contrariava os cânones da época. Contudo, durante seus 41 anos de vida, jamais usufruiu do merecido sucesso e, ressentido, acabou seus dias num hospício, falecendo de um colapso cardíaco em 1922.

Reconhecida postumamente, de sua produção literária desponta um dos mais importantes romances brasileiros,"Triste Fim de Policarpo Quaresma", que ajuda a explicar “por que somos como somos”. Quanto ao contista, a excelência de suas narrativas também surpreende, estando entre as mais conhecidas:
- "Clara dos Anjos", denuncia o preconceito contra a mulher negra.
- "Nova Califórnia", expõe a cobiça humana e inspirou a telenovela "Fera Ferida"
- "O Homen que Sabia Javanês", é uma sátira sobre o oportunismo e a malandragem.

Resumidamente, sua obra é considerada um fascinante registro histórico de um Rio de Janeiro em expansão, revelando os tipos característicos que representavam este novo formato. Em sua maioria, eram imigrantes, mestiços, pardos, negros livres ou libertos até então relegados a segundo plano pela literatura. Mediante tal perspectiva, o escritor foi um severo crítico dos vícios e da corrupção política, da aristocracia improvisada, do jornalismo, de uma pretensiosa erudição e dos “bovarismos”, isto é, “o desejo de ser outro”. De acordo com Lila Schwarcz, à medida que ele atacava o sistema, também almejava ser reconhecido e um bom exemplo são suas três tentativas frustradas, para fazer parte da Academia Brasileira de Letras.

Sobre este e-book, ele reúne a obra completa do escritor por um valor irrisório. Entretanto, como o material reunido é extenso, corresponde a 2177 páginas ou 34 horas e 47minutos de leitura, emitir uma opinião sobre a qualidade das edições selecionadas e o trabalho de digitação é pisar em terreno escorregadio. Para minimizar o risco, logo após a compra realizei uma sucinta vistoria e não encontrei qualquer problema que acarretasse a devolução do item. A bem da verdade, gostei do resultado e recomendo.

Para encerrar, sugiro como leitura complementar, um artigo publicado originalmente na revista "O Cruzeiro", em 1950, que está disponível na internet. "Dois Negros", de Rachel de Queiroz, é "um documento antropológico, sociológico, merecedor de um estudo mais aprofundado. Partindo da análise de características biográficas de Machado de Assis e Lima Barreto, Rachel analisa o Brasil de ontem e, infelizmente, de hoje".
26 pessoas acharam isso útil
Informar abuso Link permanente