Faça download dos Aplicativos de Leitura Kindle Gratuitos e comece a ler eBooks Kindle nos mais populares smartphones, tablets e computadores pessoais. Para enviar o link de download para seu smartphone por SMS, use o formato internacional sem espaços (Código Internacional+DDD+Número. Exemplo: +551199999999)

  • Clique aqui para baixar a versão iOS do aplicativo
    Apple
  • Clique aqui para baixar a versão Android do aplicativo
    Android
  • Clique aqui para baixar a versão Windows Phone do aplicativo
    Windows Phone
  • Clique aqui para baixar a versão Android pela Amazon Appstore
    Android

Para receber o link de download digite seu celular:

kcpAppSendButton

Opções de Compra

Leia à vontade. Mais de 1 milhão de eBooks Saiba mais
Leia de graça
OU
Preço digital sugerido: R$ 7,84
Preço Kindle: R$ 1,71

Economize
R$ 47,69 (97%)

Essas promoções serão aplicadas a este item:

Algumas promoções podem ser combinadas; outras não são elegíveis. Para detalhes, por favor, acesse os Termos e Condições dessas promoções.

Entregar no seu Kindle ou em outro dispositivo

Entregar no seu Kindle ou em outro dispositivo

<Incorporar>
Anúncio do aplicativo do Kindle
Ilíada por [Manoel Odorico Mendes, Homero, Manuel Odorico Mendes]

Seguir o Autor

Algo deu errado. Tente fazer sua solicitação novamente mais tarde.


Ilíada eBook Kindle

4,7 de 5 estrelas 407 classificações

Preço
Novo a partir de Usado a partir de
Kindle
R$ 1,71

Novidades da Loja Kindle
Novidades da Loja Kindle
eBooks novos para sua biblioteca digital. Veja aqui

Descrição do produto

Sobre o Autor

Homero foi um poeta da Grécia Antiga, ao qual tradicionalmente se atribui a autoria dos poemas épicos Ilíada e Odisseia. Homero teria nascido em Esmirna, atual Turquia, ou em alguma ilha do mar Egeu e vivido no século 8 a.C. Mas sua origem é tão controversa que oito cidades disputam a honra de terem sido a terra natal do poeta. A data da existência de Homero foi controversa na antiguidade e não o é menos hoje. Heródoto disse que Homero viveu 400 anos antes de seu próprio tempo, o que o colocaria em torno de 850 a.C., mas outras fontes antigas deram datas muito mais próximas da suposta época da Guerra de Troia (1194-1184 a.C.). As obras de Homero (Ilíada e Odisseia) tendem a aproximar os deuses dos homens, num movimento de racionalização do divino. Os deuses homéricos, que viviam no Monte Olimpo, possuíam uma série de características antropomórficas. --Este texto se refere à uma edição alternativa kindle_edition

Detalhes do produto

  • ASIN ‏ : ‎ B00C6ACIG6
  • Editora ‏ : ‎ Montecristo Editora (2 fevereiro 2013)
  • Idioma ‏ : ‎ Português
  • Tamanho do arquivo ‏ : ‎ 656 KB
  • Leitura de texto ‏ : ‎ Habilitado
  • Leitor de tela ‏ : ‎ Compatível
  • Configuração de fonte ‏ : ‎ Habilitado
  • Dicas de vocabulário ‏ : ‎ Não habilitado
  • Número de páginas ‏ : ‎ 461 páginas
  • Avaliações dos clientes:
    4,7 de 5 estrelas 407 classificações

Avaliação de clientes

4,7 de 5 estrelas
4,7 de 5
407 classificações globais
Como as classificações são calculadas?

Principais avaliações do Brasil

Avaliado no Brasil em 21 de setembro de 2016
Compra verificada
Imagem do cliente
5,0 de 5 estrelas Material extra de ótima qualidade
Por Joseph em 21 de setembro de 2016
A edição publicada pelo selo Penguin da Companhia das Letras foi impressa em papel pólen soft, a capa é comum e sem orelhas, porém, apesar de simples vem com um conteúdo extra excelente. Os textos introdutórios, os quais foram publicados originalmente nas edições norte-americanas da Penguin e o prefácio do tradutor Frederico Lourenço são muito interessantes. Alguns mapas e uma lista dos principais personagens citados no poema ajudam o leitor a situar-se ao longo da obra. Quanto à tradução acho importante fazer algumas considerações:

Das principais traduções em verso para o português disponíveis no Brasil da Ilíada só não possuo a de Manuel Odorico Mendes, estou longe de ser um especialista ou autoridade no assunto, mas creio que minha opinião pode ajudar outros leitores na tomada de decisão sobre que edição comprar. Se você procura um texto próximo do original em termos de conteúdo recomendo esta edição da Penguin, apesar de esta tradução ser um pouco “coloquial” e não se atentar muito à forma da obra original – resumindo, essa edição é boa para um leitor casual e/ou iniciante de Homero. A tradução de Carlos Alberto Nunes ([[ASIN:8520936849 Odisseia e Ilíada - Caixa]]) é a minha favorita, puramente por uma questão de gosto, tem um vocabulário um pouquinho mais rebuscado que o de Lourenço, mas ainda de fácil entendimento, e o tradutor utilizou um tipo de verso que se assemelha ao utilizado na epopeia grega. Já a tradução de Haroldo de Campos ([[ASIN:8575810219 Ilíada de Homero - Volume 1]]) é geralmente a mais elogiada pela crítica especializada e por helenistas famosos, de acordo com esses estudiosos é a tradução de Campos que mais se aproxima e resgata a sonoridade do poema grego, eu particularmente não aprecio muito essa tradução em virtude de o tradutor ter tomado muitas “liberdades criativas” e ter se valido, por exemplo, de diversos neologismos para atingir tal resultado. Portanto, não me atrevo a dizer que uma tradução é superior às outras, todas possuem virtudes e defeitos. Seguramente, ao adquirir qualquer uma das traduções citadas você terá um ótimo livro em mãos.

ISBN-13: 978-8563560568
Imagens nesta avaliação
Imagem do cliente Imagem do cliente Imagem do cliente Imagem do cliente Imagem do cliente Imagem do cliente Imagem do cliente
Imagem do clienteImagem do clienteImagem do clienteImagem do clienteImagem do clienteImagem do clienteImagem do cliente
252 pessoas acharam isso útil
Informar abuso
500 PRINCIPAIS AVALIADORES
Avaliado no Brasil em 25 de fevereiro de 2019
Compra verificada
34 pessoas acharam isso útil
Informar abuso
Avaliado no Brasil em 1 de dezembro de 2017
Compra verificada
61 pessoas acharam isso útil
Informar abuso
500 PRINCIPAIS AVALIADORES
Avaliado no Brasil em 2 de maio de 2020
Compra verificada
Imagem do cliente
5,0 de 5 estrelas Melhor Tradução Disponível em Português
Por Eduardo em 2 de maio de 2020
A Ilíada é conhecida como "certidão de nascimento da Literatura Ocidental", sendo um dos maiores épicos de todos os tempos.

Narrando a ira de Aquiles e os tormentos da guerra "lacrimosa" entre gregos e troianos, temos aqui, além da narrativa de guerra propriamente dita, um desfile dos costumes e da cultura grega de então: como se entendia a honra e a glória, a importância da hospitalidade, o dever de se dar um funeral adequado aos mortos, os valores cultivados pela sociedade, enfim, os porquês do viver e do morrer.

Quanto à tradução de Frederico Lourenço, considero-a como a melhor disponível em português, já que consegue aliar, ao mesmo tempo, o lirismo poético e a fluência da narrativa, sem arcaísmos ou constantes inversões frasais que emperrariam a cadência e a dinâmica da leitura, principalmente se comparada com outras traduções (a de Haroldo de Campos, embora lindamente trabalhada, é repleta de neologismos que, em alguns pontos, travam a leitura; a de Carlos Alberto Nunes, também excelente, possui muitas inversões frasais e arcaísmos que atrapalham, para mim, a fluência do texto).

Além disso, a obra possui textos introdutórios, lista dos principais personagens e mapas que ampliam a compreensão da narrativa e a experiência do leitor.

Uma advertência: como a Ilíada foi escrita a partir da tradição oral, há muitas repetições de expressões e adjetivos que podem, de início, incomodar o leitor, mas que, no decorrer da leitura, passam a ser extremamente importantes para o entendimento do contexto da guerra e do papel dos personagens. Assim, temos, a todo momento, expressões como "Gregos de belas cnêmides", "Troianos, domadores de cavalos", "Heitor, do elmo reluzente", "Menelau, dileto de Ares", "Agamemnon, pastor de homens" etc. Há, também, constantes comparações de cenas de guerra com outras, mais bucólicas e pastoris, também elas fruto da milenar tradição oral que culminou neste grandioso texto, pois, nos primórdios, a Guerra de Troia era cantada nas praças e ruas da Antiguidade, para deleite de todos.

A única mácula da edição é a ausência de capa dura, já que a capa flexível, num volume de mais de setecentas páginas, acaba por ficar constantemente curvada para cima. Mas, trata-se de uma questão menor em comparação com a excelência da edição como um todo.

Boa leitura!
Imagens nesta avaliação
Imagem do cliente Imagem do cliente Imagem do cliente
Imagem do clienteImagem do clienteImagem do cliente
14 pessoas acharam isso útil
Informar abuso
Avaliado no Brasil em 6 de dezembro de 2017
Compra verificada
21 pessoas acharam isso útil
Informar abuso